Aracruz entre as 100 cidades do país que mais criaram emprego em 2017

Das 100 cidades brasileiras que mais criaram emprego em 2017, só uma é capixaba: Aracruz, no Norte do Estado. Segundo dados do Ministério do Trabalho, que tem como base o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o município criou 1.527 vagas de emprego de janeiro a dezembro do ano passado e ficou na 27ª posição. O Brasil fechou o ano com 20.832 postos de trabalho.

Em Aracruz, o grande número de vagas de empregos criadas no ano passado deve-se, sobretudo, à Jurong. De acordo com o prefeito Jones Cavaglieri, o estaleiro – instalado na Barra do Riacho -, junto com outras empresas prestadoras de serviço, é o maior responsável pela geração de emprego no município, mesmo em um período de crise. Além da Jurong, o início das obras para construção da empresa Carta Fabril também abriu novos postos de trabalho na cidade.

“Foi um conjunto de fatores que levou a isso. Na gestão passada conseguimos trazer o Senai e o Ifes para o nosso município, e isso nos permitiu qualificar muita gente. Os incentivos que damos aos empresários, para atrair as empresas e facilitar a vinda delas para a cidade é pensando na geração de emprego. Isso permitiu a instalação da Jurong, que é responsável pela grande maioria dessas vagas de emprego. Temos ainda a Carta Fabril que, mesmo em fase de terraplanagem, já tem criado muitas oportunidades de emprego”, detalhou o prefeito.

Entre os benefícios oferecidos pelo município, está a concessão de áreas para a construção de empresas. O estaleiro Jurong ocupa 825 mil metros quadrados de uma área doada pela Prefeitura, assim como foram doados também 550 mil metros quadrados de área, também na Barra do Riacho, para construção da Carta Fabril, que vai produzir  guardanapos, papel toalha, absorventes, fraldas e papel higiênico. Para 2018, a expectativa é de um cenário ainda melhor.

“Com incentivos fiscais aos novos empreendimentos, a gente espera ampliar esse cenário. Temos o Porto da Imetame que está pronto, e aguarda uma única licença para começar a funcionar e o avanço das obras da Carta Fabril. Ainda temos a expectativa de Aracruz entrar na área da Sudene, mais isso depende da aprovação dos nosso senadores. Se isso se concretizar, já temos seis empresas interessadas em vir para o município”, afirmou Cavaglieri.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *