OPERAÇÃO DIVISA SEGURA terá reforço da PMES nos pontos de divisa com o Rio de Janeiro

 Foi finalizado o planejamento para a atuação da Polícia Militar do Espírito Santo como intervenção de reforço nos municípios que fazem divisa com o Rio de Janeiro. A OPERAÇÃO DIVISA SEGURA é resultado de uma integração entre o Comando da PMES, o Sistema de Inteligência (Sipom) e as forças de segurança do Rio de Janeiro, com o objetivo de reforçar o policiamento nas áreas de fronteira após o decreto de intervenção federal na segurança pública fluminense.

As ações foram definidas durante uma reunião em que estiveram presentes o Secretário de Segurança Pública, André Garcia; o Comandante-Geral da PMES, Coronel Nylton Rodrigues Ribeiro Filho; o Subcomandante-Geral, Coronel Rogério Maciel Barcellos; o Chefe do Estado-Maior Geral, Coronel Márcio Celante Weolffel; o Comandante do CPOM, Coronel Alexandre Ofranti Ramalho; o Comandante do CPO-Sul, Coronel Alessandro Marin; o Comandante do CPOE, Coronel Antônio Marcos de Souza Reis; o Comandante do CPO Serrano, Coronel Arilson Marcelo Martinelli, dentre outros oficiais. 

O planejamento da OPERAÇÃO DIVISA SEGURA foi elaborado pelo Chefe do Estado-Maior Geral, juntamente com os comandantes de Polícia Ostensiva Sul, Serrano, Metropolitano e Especializado. A coordenação da operação será feira pelos Comandos do CPO Sul e CPO Serrano. 

Serão montados vários pontos de bloqueio na Região Sul do Espírito Santo, compreendendo os municípios de Presidente Kennedy, Mimoso do Sul, Apiacá, Bom Jesus do Norte, Guaçuí, Dores do Rio Preto e Iúna. O reforço do policiamento terá início na próxima quinta-feira (22) e, além do efetivo policial militar, haverá interface com outros órgãos de Segurança Pública, como a Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal.

Segundo o Secretário de Segurança Pública, André Garcia, devido à proximidade e extensa divisa com o Rio de Janeiro, o Espírito Santo se apresenta como uma possível rota de fuga para os criminosos. “Nesse contexto, é primordial que a Polícia Militar e demais agências públicas de segurança do Estado estejam preparadas e atuantes para coibir e impedir a entrada e instalação desses criminosos em território capixaba”, pontuou.

De acordo com o Comandante-Geral da PMES, Coronel Nylton Rodrigues Ribeiro Filho, o planejamento começou a ser discutido logo que a intervenção federal foi anunciada, para um melhor emprego de reforço nas operações policiais e uma forte presença com a ocupação ostensiva entre os estados. 

“A fiscalização nas divisas será reforçada com a ocupação das áreas limítrofes e, sobretudo, com um trabalho direcionado do Sistema de Inteligência, que verifica a possibilidade real da migração de criminosos para as terras capixabas. O objetivo é inibir essa fuga para o nosso Estado e impedir que o crime organizado crie raízes aqui”, finalizou o comandante. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *