Menino de 8 anos encontrado morto em Vitória foi assassinado, diz polícia

Aos oito anos de idade, o menino Paulo Antônio Marinho foi assassinado. É assim que a Polícia Civil trata o caso da criança que morreu depois de ser encontrado pela mãe com diversas agressões pelo corpo na última sexta-feira (2), no Morro do Romão, em Vitória.

As investigações do crime estão sob a responsabilidade da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vitória. No dia da morte, a Polícia Militar registrou que a mãe havia saído de casa para levar o filho caçula, de cinco anos, ao hospital.

Paulo Antônio estava dormindo e ficou na companhia do padrasto, com quem convivia há cerca de seis meses.

Ao retornar para casa, a mãe encontrou o menino com marcas roxas pelo corpo, além de cortes e mordidas.

Uma equipe médica do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) foi acionada e levou Paulo Antônio, acompanhado da mãe dele, para um hospital. No entanto, antes mesmo que a criança chegasse à unidade hospitalar, ela sofreu uma parada cardiorespiratória, foi reanimada, mas não resistiu e morreu.

A Polícia Militar foi acionada e não localizou o padrasto, que teria sido a última pessoa com quem Paulo Antônio esteve.

O corpo do menino foi levado para o Departamento Médico Legal (DML). No atestado de óbito consta como causa da morte “politraumatismo, ação contundente, homicídio”.

Padrasto não localizado

Após a constatação da morte de Paulo Antônio, o padrasto do menino não foi mais encontrado nem pela família da criança e nem pela polícia.

Moradores da região repassaram informações para policiais de que o padrasto teria sido executado por bandidos do bairro por supostamente ser o autor da morte de Paulo Antônio. No entanto, a Polícia Civil afirmou que, até o momento, não houve nenhum registro de assassinato na região.

Sobre a possibilidade do padrasto ser autor da morte do menino, a Polícia Civil também não confirmou este fato e disse que a situação está sendo investigada.