Professores não vão precisar agendar para conseguir vacina contra a Covid

Os trabalhadores da educação não precisarão fazer agendamento para serem vacinados contra a covid-19. Os critérios e ordem de prioridade para vacinação destes profissionais foram divulgados nesta quinta-feira (15), na solenidade que marcou – simbolicamente – o início da imunização destes profissionais.

O modelo que será aplicado para os trabalhadores da educação será o mesmo adotado na segurança pública do Estado, cuja categoria começou a ser vacinada no dia 7 de abril: cada secretaria de educação, universidade ou órgão relacionado organizará uma listagem, que será consolidada junto a um Comitê – criado nesta quinta pelo Governo do Estado – para definir a ordem de vacinação.

Este comitê é formado pela Secretaria de Estado da Educação (Sedu), pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), pelo Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), pelo Sindicato das Empresas Particulares de Ensino do Estado do Espírito Santo (Sinepe-ES), pela União dos Dirigentes Municipais de Educação do Espírito Santo (Undime-ES) e pela Secretaria de Estado de Controle e Transparência (Secont).

A partir desta listagem, os profissionais serão convocados para a imunização.

Tanto os profissionais de educação quanto da segurança pública estão sendo vacinados com a chamada “reserva técnica”, um montante de 5% dos lotes de vacinas que chegam ao Estado. Destes 5%; 70% são destinadas aos profissionais de Educação e 30% aos profissionais da segurança pública.

A expectativa da Secretaria de Educação é de que, já na primeira semana, sejam vacinados 70% do primeiro grupo, formado por 7.680 professores e auxiliares (seja da rede pública ou privada) com idade entre 50 e 59 anos. Na semana seguinte, chegando mais doses, este grupo será concluído e a vacinação segue para o grupo seguinte (professores e auxiliares com idade entre 40 a 49 anos).

Já a organização de como será a campanha de imunização ficará a cargo de cada secretaria de Saúde municipal.