Homem separa de padre após orgias e pede pensão na Justiça

Homem separa de padre após orgias e pede pensão na Justiça

Ex de padre diz que dependia financeiramente dele e que se separou por causa de orgias. Já religioso sugere em mensagens que era extorquido

O estudante de biomedicina Fernando dos Santos, de 25 anos, entrou na Justiça para reconhecer a união estável com o padre Samuel Carvalho, de 32 anos, para pedir uma pensão de um salário mínimo. O casal teve um relacionamento de um ano.

Relatos sobre o caso envolvendo o líder religioso católico e o estudante repercutiram na internet no mês passado. Agora, essa história ganha um novo capítulo, e vira caso de Justiça.

Fernando protocolou o pedido de pensão no último sábado (8/6) na Vara Cível da Comarca de Marechal Deodoro, do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL).

O estudante alega que se mudou de Alagoas para Lavras, em Minas Gerais, onde o padre era responsável por uma paróquia. O casal se conheceu pelo aplicativo de relacionamento Grindr durante uma viagem do religioso para Maceió, capital de Alagoas.

Motivo do término

Na ação de reconhecimento estável, Fernando alega que o casal se desentendeu por causa de “propostas de fetiches desejadas apenas por Samuel”, que continuaria “planejando aventuras sexuais” contra a vontade do estudante.

Em conversa com o Metrópoles, Fernando disse que esses “fetiches” eram orgias e que participou da maioria delas, mas “depois de chantagem emocional”.

Segundo o estudante de biomedicina, o padre teria se comprometido em fornecer uma renda mensal para ele após o término, mas não teria cumprido esse combinado.

Briga por dinheiro

Mensagens de WhatsApp anexadas no ação judicial mostram que Fernando pedia por ajuda financeira e ameaçava contar para outras pessoas sobre as relações homoafetivas do líder religioso. Nas mensagens, Samuel sugere que estaria sendo extorquido pelo ex-namorado.

Em uma das mensagens, o padre de Minas Gerais cita uma terceira pessoa que teria relacionamentos amorosos com líderes religiosos católicos: “Esse (nome omitido) é um galinha. Deu em cima de inúmeros padres. Pegou o contato de uns 30”.

Ainda na ação que protocolou na Justiça, Fernando alega que após alguns meses de relacionamento, o casal resolveu morar junto.

Já em conversa com a reportagem, Fernando disse que não dá para dizer por exato o tempo que teria morado junto com o padre. “Eu ia dormir todos os dias na casa paroquial, dependendo dos horários da empregada”, explicou o estudante. Fernando ainda disse que no final do relacionamento chegaram a alugar um apartamento juntos.

Afastamento doloroso

Após o escândalo, o padre Samuel foi afastado de suas funções por decisão do Bispo Diocesano de São João del-Rei, Dom José Eudes Campos do Nascimento. O afastamento aconteceu em 13 de maio deste ano. Na ocasião, Samuel tinha saído da paróquia de Lavras (MG) e estava em uma igreja do distrito de Macuco de Minas, em Itumirim (MG).

“O afastamento se deu pela divulgação de material, veiculado nas mídias digitais, com conteúdo de denúncia em desfavor do referido sacerdote. Esse procedimento, apesar de muito doloroso, é necessário para que se possa alcançar o profundo e coerente discernimento diante das implicações práticas devidas às normas do Direito Canônico”, diz trecho de comunicado da Diocese.

A reportagem entrou em contato com o padre Samuel, mas não teve retorno até a publicação da matéria. O espaço segue aberto.

Após a publicação da reportagem, Fernando informou para a reportagem que sofria de depressão e síndrome do pânico no período em que estava com o padre, e que adicionará essas informações médicas na ação judicial que move pela pensão.

Veja a nota completa:

Aos fiéis da Paróquia de São Sebastião do Macuco de Minas e de toda Diocese de São João del Rei

O Exmo. e Revmo. Dom José Eudes Campos do Nascimento, Bispo Diocesano de São João del Rei, no exercício do seu ministério, como Pastor Próprio desta Igreja Particular, que lhe foi confiada pelo Romano Pontífice, considerando a disposição do cânon 1395 §2, do Código de Direito Canônico, após profundo diálogo com o Revmo. Pe. Samuel Carvalho Detomi e de comum acordo com o referido padre, DECRETOU, neste dia 13 de maio de 2024, o AFASTAMENTO DO EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO SACERDOTAL “AD CAUTELAM” do supracitado sacerdote.

Isso se deu pela divulgação de material, veiculado nas mídias digitais, com conteúdo de denúncia em desfavor do referido sacerdote. Esse procedimento, apesar de muito doloroso, é necessário para que se possa alcançar o profundo e coerente discernimento diante das implicações práticas devidas às normas do Direito Canônico.

Aos fiéis da Paróquia de São Sebastião do Macuco de Minas, no distrito de Itumirim-MG, o Sr. Bispo assegurar-lhe-ás o devido atendimento espiritual e pastoral, sem deixar que se perca a alegria vibrante da recente criada paróquia.

Como o salmista, nós queremos suplicar ao Bom Deus: “nas tribulações, inclina os teus ouvidos a meu clamor” (Sl 102,2). E inspirados ainda nas palavras do Apóstolo Paulo: “Alegrem-se na esperança, sejam pacientes na tribulação, perseverem na oração (Rm 12,12). Portanto, sejamos impávidos, pela fé, para que o justo juiz nos faça participantes de sua glória, pela misericórdia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *