ANCHIETA: Festa de aniversário de 4 pessoas na Praça acaba com a chegada PM e dois baleados

ANCHIETA: Festa de aniversário de 4 pessoas na Praça acaba com a chegada PM e dois baleados

Era para ser a comemoração de aniversário de quatro pessoas da comunidade de Recanto do Sol, em Anchieta, entre estas quatro, os gêmeos. E a festa estava acontecendo na praça principal do bairro, iniciou às 7h30 e a previsão de término era às 0h00.

Contudo, o clima esquentou, os aniversariantes contrataram um paredão de som com DJ e tudo, o barulho incomodou a vizinhança, que chamou a Polícia Militar – PM.

Na Praça havia pelo menos 100 pessoas, por volta das 19h00 e a PM chegou com a Força Tática e escudo para parar o som. Houve bombas de gás lacrimogêneo para dispersar as pessoas, tiros, gás de pimenta e duas pessoas acabaram baleadas.

Um dos policiais que estava no local disse que era aniversário dos gêmeos que residem em Recanto, este rapaz teria envolvimento com a criminalidade.

A Polícia Militar informou que houve muitas denúncias por conta do paredão de som que estava rolando e ela foi acionada, chegou e embargou tudo.

“Eles não gostaram e resolveram confrontar com a polícia, eles revidaram com bala e a polícia resolveu revidar com bala de verdade também, de um tiroteio”.

O jornal recebeu diversos áudios de moradores, um deles comunicava em um grupo de WhatsApp que havia uma troca de tiros. “Rapaziada, bala tá comendo praticamente em frente à minha casa, porque os meninos moram perto, o pau tá quebrando e as mulheres estão colocando as crianças na frente contra a polícia e os caras estão enfrentando a polícia, vocês acreditam”, disse um morador.

Outro comentou. “Do nada quiseram enfrentar a polícia, polícia é polícia, os caras não querem respeitar”.

Versão de uma das participantes da festa 

Mariana Terra das Neves, 19 anos, estava na festa, ela contou ao jornal que os organizadores teriam pedido a um vereador que ajeitasse um alvará para a confraternização rolar com o paredão de som.

E a festa estava rolando, mas não tinha alvará nenhum. Ela afirmou que durante o dia ocorreu tudo bem, passou uma viatura da PM, mas do jeito que passou foi embora, sem abordagem nenhuma. “Então, continuamos a festa porque na nossa cabeça estava tudo certo com os paredões pra tocar até meia noite, quando deu por volta de 18:30 chegaram vários carros de polícia fechando as ruas, todos apagados, mandaram desligar tudo, eles respeitaram, ninguém colocou mais nada, foram todos os carros que estavam tocando embora, e os policiais ficaram lá todos armados, com arma pesada apontando pras pessoas e pras crianças também, um irmão da Jéssica foi falar com eles, deram um empurrão nele e quase jogou no chão, e depois foram doido em cima deles querendo atirar, correndo no meio da rua, no meio das crianças dando muito tiro, tinha criança no parquinho, no pula-pula, foi totalmente sem necessidade, o irmão dela correu, porque não iria ficar sabendo que eles já iriam direto nele atirando, e o outro o Jeferson subiu o morro com as mãos pra cima e mesmo assim, eles atiraram nele, fizeram covardia com ele, quebraram a perna dele e ainda arrastaram pra machucar mais ainda, deram chute na barriga e na cara dele, bateram até no pai dele que não fez nada, estava só perto olhando pra não deixar machucar muito ele, a mulher e filhas dele tudo olhando eles batendo na covardia, arrastaram ele quase 4 metros de distância, na intenção de machucar mais a perna dele, isso foi revoltante de se ver”, relatou Mariana.

Outra que no local é Jéssica Simões, irmã de umas das pessoas atingidas, ela afirmou que houve abuso de poder por parte dos policiais, uma vez que a Polícia Militar atirou contra as pessoas que estavam na Praça, onde também havia crianças brincando e acabou atingindo duas pessoas, uma mulher na nádega e Jefferson Simões Santos, na perna.

Jéssica Simões alega que o irmão foi baleado na perna e foi arrastado pela PM até a viatura que o conduziu ao Pronto Socorro Médico de Anchieta – PA. Afirma que o socorro deveria ser feito pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – Samu e que na hora o irmão foi agredido pelos policiais e até o pai deles foi empurrado. 

O que diz a PM

A Reportagem entrou em contato com o comandante da 10ª CIA Independente da PM, Major Cavalcanti para saber como foi esta abordagem dos policiais que culminou com duas pessoas feridas. 

Informou o Major que está apurando tudo que aconteceu na noite deste sábado, em Recanto do Sol e posteriormente terá todos os detalhes. Por hora assegurou que, o que chegou até ele é que estaria ocorrendo um Baile do Mandela com denúncias de som alto. “A Força Tática e uma viatura local teriam prosseguido para averiguar o fato e ao chegarem teriam sido recebidos a tiros por criminosos que estavam no local. Os policiais revidaram e uma pessoa foi baleada e socorrida aparentemente sem muita gravidade. Não houve materiais apreendidos, somente o baleado foi preso”, ressaltou o major.

Convém ressaltar que carros de som têm incomodado muito os moradores em Anchieta, muitas reclamações chegam ao jornal, na semana passada as reclamações eram da comunidade de Parati. 

Fonte: Espírito Santo Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *