Paciente sedada é estuprada por vigilante de clínica de saúde mental

Paciente sedada é estuprada por vigilante de clínica de saúde mental

Uma câmera de segurança registrou o momento em que uma mulher sedada foi estuprada na clínica de saúde mental onde estava internada em Camaragibe, no Grande Recife.

As imagens mostram o homem, que trabalhava como vigilante no local, colocando a mão por baixo do lençol que cobria a vítima. Segundo a família, o criminoso, que foi indiciado por estupro no início de junho, segue foragido seis meses depois do crime.

O caso aconteceu na madrugada de 17 de novembro do ano passado, no Hospital Reluzir, em Aldeia. As informações foram publicadas pelo Jornal do Commercio e confirmadas pelo g1. Procurada, a unidade de saúde informou que o segurança trabalhou no estabelecimento por dois meses e foi demitido (veja resposta abaixo). O nome dele não foi divulgado.

 Segundo a advogada Maria Eduarda Albuquerque, que representa a família da paciente, a mulher tem 30 anos e estava internada na clínica particular para se tratar de uma crise de depressão.

“Encaminharam ela para uma ala masculina, porque houve uma admissão e a pessoa que entrou estava muito exaltada. Colocaram nessa outra ala para ela dormir. E o segurança cometeu o crime. Isso foi de uma quinta para sexta e ela ficou desesperada. Tinha tomado medicação, mas estava acordada quando aconteceu”, contou a advogada.

As imagens, obtidas pelo g1 na terça-feira (18), foram gravadas às 4h26. Nelas, é possível ver o vigilante vestido com farda e colete mexendo na paciente, que estava sozinha na sala, deitada numa cama. Depois de passar a mão em diferentes partes do corpo da vítima, o segurança deixou o local.

De acordo com Maria Eduarda Albuquerque, a mulher relatou que fechou os olhos e “queria que aquilo acabasse”. Ela disse também que, depois dos abusos, a paciente continuou sozinha na sala e a família só foi avisada horas depois do crime para comparecer à clínica na manhã do dia seguinte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *