Furacão passa no Rio e deixa Mengo no cheirinho mais uma vez

O Athletico-PR está classificado para a semifinal da Copa do Brasil. A equipe comandada pelo técnico Tiago Nunes passou de fase na competição após bater o Flamengo nos pênaltis, hoje (17), no Maracanã, por 3 a 1. No tempo normal, empate em 1 a 1 – Gabigol abriu o placar para os cariocas e Rony empatou, ambos os gols no segundo tempo.

Na luta por uma vaga na final, o time rubro-negro vai encarar o Grêmio, que venceu o Bahia em duelo realizado em Salvador, hoje.

Quem foi bem no Flamengo

Gabigol, que já havia balançado a rede no jogo de ida, na Arena da Baixada, teve presença de área e, novamente, deixou a marca no duelo ao abrir o placar no Maracanã,

Quem foi mal no Flamengo

Vitinho substituiu o meia Arrascaeta, mas encontrou dificuldades na criação ofensiva e não teve sucesso nas tentativas de jogadas individuais. A equipe da casa acabou caindo de rendimento e não criando mais tantas chances. Um menção, porém, de que o camisa 11 foi o autor do cruzamento no lance que gerou o gol de Gabigol.

Quem foi bem no Athletico-PR

Com boa movimentação, Rony foi um dos grandes responsáveis pelas oportunidades criadas, principalmente, no segundo tempo. Ele, inclusive, foi o autor do gol do Athletico-PR.

Quem foi mal no Athletico-PR

Jonathan conseguiu ser ativo nas investidas ofensivas, mas teve falhas de posicionamento na marcação que ajudaram ao Flamengo avançar pela ala esquerda, sobrecarregando um pouco o zagueiro Bambu.

Flamengo com volume

O Flamengo foi para o jogo com algumas mudanças. Além do retorno do lateral-esquerdo Renê e do volante Cuéllar à equipe titular, o técnico Jorge Jesus optou por Lincoln na vaga de Bruno Henrique, lesionado. Desta forma, Gabigol teve um pouco mais liberdade à frente e Lincoln ficou mais como referência.

A equipe começou com bastante intensidade e “empurrando” o Furacão para o campo de defesa, mas o meia Arrascaeta sentiu um incômodo muscular na coxa direita cedo e Vitinho entrou, mas o time mudou de característica e perdeu um pouco da movimentação que vinha tendo.

A equipe conseguiu manter o ritmo no segundo tempo, corrigindo algumas falhas, e chegou ao gol em uma jogada que deixou explícita a movimentação ofensiva.

Assim como nas duas partidas anteriores sob o comando de Jorge Jesus, a equipe ainda encontra algumas dificuldades na marcação com “linha alta”, o que gerou problemas no decorrer do jogo – Athletico-PR empatou em um lance de velocidade nas costas do sistema defensivo.

Athletico “profundo”

A equipe de Tiago Nunes começou acuada e estava explorando muito os chutões, mas, aos poucos, conseguiu ganhar volume de jogo e ficar mais tempo no campo de ataque. A melhora teve a ver também com o rendimento de Bruno Guimarães, que achou espaços na defesa adversária e conseguiu dar certo trabalho.

Na volta do intervalo, o Furacão explorou as jogadas “em profundidade”, principalmente pelo lado direito, com Rony. Porém, quando não esbarrava na zaga do Fla, faltava capricho para completar em gol.

Mas foi justamente com esta “dupla” (jogada vertical e Rony) que o Furacão chegou ao empate, quando Bruno Nazário achou o companheiro nas costas da defesa e ele bateu na saída de Diego Alves.

O jogo

O primeiro tempo da partida foi bastante movimentado, mas com poucas chances claras de gol. Em casa, o Flamengo começou com um bom volume de jogo, mas o Athletico-PR, aos poucos, conseguiu equilibrar as ações e também ter boa presença no campo de ataque. Nos 10 minutos finais, a marcação ficou mais forte e os times ficaram ‘presos’ entre as intermediárias, tendo um aumento também no número de faltas.

Pelo lado do time carioca, Lincoln carimbou a trave aos 15 minutos, depois de cruzamento pela direita. Já na equipe paranaense, Rony foi quem chegou mais perto do gol, aos 29, ao bater de primeira após passe também pela direita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *