Mãe confessa à polícia ter matado filho de 2 meses enforcado no ES

Mãe confessa à polícia ter matado filho de 2 meses enforcado no ES

A mãe de um bebê de 2 meses confessou que matou o próprio filho enforcado dentro de casa, no interior de Ecoporanga, no Noroeste do Espírito Santo. A informação foi confirmada para a reportagem de A Gazeta pelo delegado Daniel Nogueira, responsável pelas investigações do caso. Segundo o delegado, a mulher, de 20 anos, apresentou duas supostas versões para a morte do filho neste domingo (13).

“Ela começou dizendo que estava depressiva depois do parto e matou por causa disso, mas, durante o interrogatório, afirmou que cometeu o homicídio porque achava que o pai não quisesse o filho e também porque ele não dava atenção suficiente para ela e a criança. No entanto, não creio que uma pessoa depressiva por puerpério possa premeditar um homicídio e inovar mediante fraude processual”, afirmou Nogueira na madrugada desta segunda-feira (14), após interrogar a mulher.

VERSÃO APRESENTADA PELA MULHER

De acordo com o  delegado, em sua primeira versão,  a mãe disse que duas pessoas arrombaram a janela da casa, enforcaram o bebê e depois  amarraram os pés e as mãos dela, mas não havia indícios de arrombamento na casa e a mulher teria entrando em contradição. 

O delegado destacou ainda que há indícios de que a mulher teria premeditado o crime. “No dia 10 deste mês, o pai fez uma ocorrência na polícia de que haviam posto veneno no frasco de vitaminas do bebê. Apesar dela não ter confessado esse crime, existem indícios suficientes de que ela já estava tentando matar a criança”, relatou o delegado.

“NÃO ACREDITO QUE O PAI TENHA PARTICIPADO”, DIZ DELEGADO

O delegado destacou que não há indícios que liguem o pai ao crime. “Por enquanto, não há nada que ligue o pai ao fato. Ele não sabia que ela pretendia matar a criança e estava preocupado com a segurança da família depois que começou a receber cartas deixadas na varanda da casa e mensagens de WhatsApp ameaçadoras. Pelo desenrolar dos depoimentos, não acredito que o pai tenha participado”, contou o responsável pelas investigações.

A mulher teria simulado cartas com supostas ameaças à família e ao bebê. Além disso, ela criou um perfil falso nas redes sociais para encaminhar o mesmo tipo de intimidação, de acordo com informações do delegado. 

O corpo do bebê foi encaminhado para o Serviço Médico Legal (SML) de Linhares. 

O CASO 

Segundo a Polícia Militar, o pai do bebê procurou a Companhia da PM para informar sobre a ocorrência neste domingo (13). Ele relatou aos militares que saiu no final da madrugada para tirar leite. Ao retornar para casa, já pela manhã, encontrou o filho enforcado e morto, e sua esposa com as mãos e os pés amarrados. O homem disse à polícia que estava sofrendo ameaças.

Es em Foco