Intestino exposto em Guarapari: um mês após ser ferido, jovem segue internado sem previsão de alta

Intestino exposto em Guarapari: um mês após ser ferido, jovem segue internado sem previsão de alta

Um mês após ter a barriga cortada e uma parte do intestino arrancada enquanto participava de um luau na praia do Ermitão, em Guarapari, o estudante universitário de 20 anos segue internado em um hospital particular, sem previsão de alta. 

A informação é do advogado da família do rapaz, Lécio Machado, que não deu mais detalhes, a pedido dos familiares, mas disse que o jovem está se recuperando bem.

O caso aconteceu na madrugada do dia 16 de janeiro e ainda é um mistério. Ele continua sendo investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Guarapari e ainda não há uma previsão de quando o inquérito será concluído.

A suposta namorada do universitário, que estava com ele no dia dos fatos, já foi ouvida pela polícia e passou por exames de corpo de delito, no Departamento Médico Legal (DML) de Vitória, no início do mês. Já o rapaz dará seu depoimento assim que tiver alta do hospital. Ambos são tratados como vítimas no inquérito.

A história ficou conhecida em todo o país após ganhar enorme repercussão nas redes sociais, com a divulgação de uma série de especulações e até do vazamento de imagens da cirurgia à qual o jovem teria sido submetido.

O advogado do casal contou que os jovens foram até a praia para fazerem um luau. Disse ainda que eles levaram uma garrafa de vinho e teriam feito uso de droga. Em entrevista por telefone à equipe da Record TV, o universitário admitiu ter usado LSD, mas afirma ter se arrependido de ter consumido a droga.