Golpistas presos em Guarapari deram prejuízos de até R$ 27 mil em outros estados

Três pessoas foram presas por participação em um esquema de vendas fraudulentas de veículos. O trio fazia parte de um grupo de criminosos que aplicava golpes pela internet. Uma das vítimas, do Distrito Federal, responsável pela denúncia que levou até a prisão dos suspeitos, teve um prejuízo de R$27 mil. 

De acordo com a Polícia Civil, o caso começou a ser investigado depois que a vítima do Distrito Federal fez uma negociação de um veículo e percebeu que se tratava de um golpe. A pessoa registrou um Boletim de Ocorrência, informando que a conta que recebeu o valor era de uma agência bancária em Guarapari. Em seguida, foi até a própria agência bancária, que fez contato com a agência no Espírito Santo e recebeu a informação de que um casal estava realizando um saque naquele momento. 

O casal foi identificado como Caroline Pires Alves, a titular da conta, e Vinicius Inocêncio da Silva Junior Saloto, namorado dela. A Polícia Militar do Espírito Santo foi acionada e o casal conduzido à Delegacia Especializada em Investigações Criminais (DEIC) de Guarapari.

Como funcionava? 

O golpe consistia em oferecer veículos pela internet. A negociação era feita online e os pagamentos realizados por meio de depósito bancário, de forma que a vítima só percebia depois que repassava o dinheiro. 

Investigações

Segundo o delegado da Deic de Guarapari, Guilherme Eugênio Rodrigues, em depoimento, Vinicius alegou que estava devendo a um agiota, e como forma de pagamento disponibilizou a conta da namorada dele para que o agiota recebesse um depósito. A promessa era que ele ficaria com parte do valor depositado e eles estavam retirando parte do dinheiro da conta naquele momento. Já Caroline alegou que não sabia de onde vinha o dinheiro, mas aceitou receber o depósito e, em troca, ficaria com parte do valor.

Durante este depoimento, o suspeito recebeu uma videochamada em que foi ameaçado de morte por outros integrantes da organização criminosa, que exigiam o repasse do dinheiro. O conduzido marcou um lugar para encontrar os comparsas e a Polícia Civil, com o apoio da Polícia Militar, realizou o acompanhamento. Em um shopping de Guarapari, os policiais realizaram a prisão de Hipólito Luiz Pinto Ribeiro.

Durante as buscas, a Polícia Civil do Espírito Santo recuperou mais de R$23 mil, dos R$27 mil depositados pela vítima. O valor restante já tinha sido gasto por integrantes da organização. Os três conduzidos foram autuados em flagrante por estelionato, lavagem de dinheiro e organização criminosa e encaminhados para o sistema prisional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.