Governo do ES faz representação criminal contra deputados que fizeram visita a hospital

O Governo do Espírito Santo registrou nesta segunda-feira (15) uma notícia-crime no Ministério Público contra o grupo de cinco deputados estaduais que fez uma visita surpresa ao Hospital Dório Silva, no município da Serra, na Grande Vitória, na última sexta (12).

No texto, o governo acusa os deputados Lorenzo Pazolini (Republicanos), Carlos Von (Avante), Torino Marques (PSL), Danilo Bahiense (PSL) e Vandinho Leite (PSDB) de crime contra a saúde pública e pede que o Ministério Público proponha uma ação contra eles no Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES).

O documento também faz referência às declarações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro, que incentivou seus apoiadores a entrar em hospitais públicos ou de campanha que tratam da Covid-19 para filmar o interior das instalações a fim de constatar se há leitos desocupados.

No domingo (14), o procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu aos chefes dos Ministérios Públicos dos estados que abram investigação sobre casos de invasão a hospitais e ofensas contra profissionais e equipes de saúde.

Em nota, o MPES, por meio da Procuradoria-Geral de Justiça (PGJ), confirmou que recebeu representação e disse que analisa o procedimento.

Os parlamentares afirmam que o objetivo da visita era o de apurar denúncias sobre as condições de trabalho no hospital. Eles também argumentam que tomaram todos os cuidados necessários e que a ação de fiscalização não está relacionada à fala de Bolsonaro.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou uma nota de repúdio contra a visita.

“É inadmissível esse tipo de atitude no momento em que o Espírito Santo, o país e o mundo enfrentam a mais grave crise de saúde em nossa geração. Mais grave é o fato de que tal atitude foi insuflada por uma declaração irresponsável do chefe da nação”, pontuou a Sesa na nota.

Segundo a pasta, os deputados entraram em áreas destinadas aos pacientes da Covid-19 e em alas de outras enfermidades, o que teria colocado em risco pacientes e servidores.

“Além da violação do direito à imagem de todas as pessoas constrangidas pelos invasores por meio da captação de imagens sem autorização, o ato é um desrespeito aos familiares que, devido a esses protocolos, não podem sequer ter contato com seus entes queridos. Lamentamos o ocorrido e clamamos que as autoridades constituídas tenham dimensão de suas responsabilidades nesse momento”, diz a nota em outro trecho.

Durante pronunciamento na internet, o governador Renato Casagrande (PSB) disse que os deputados colocaram várias pessoas em risco com a quebra dos protocolos de saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *