Comerciante filho de ex vereador é preso por receptação em Guarapari

Comerciante filho de ex vereador é preso por receptação em Guarapari

Um comerciante do ramo de sorveterias que é filho de um ex-vereador de Guarapari foi preso no final da tarde desta terça-feira acusado de comprar uma carga de produtos descartáveis roubada na última semana em Cobilândia, Vila Velha. A prisão aconteceu depois que policiais de do Distrito Policial (DP) de Cobilândia encontraram a carga roubada em um imóvel em Village do Sol, em Guarapari.
Na manhã desta terça-feira o motorista que foi vítima do roubo procurou o DP de Cobilândia com a informação de que os produtos roubados estariam em um galpão de uma sorveteria na região de Iguape, em Guarapari. Chegando lá os policiais não encontraram o produto roubado, mas com o nome da empresa, seguiram para o bairro Muquiçaba, onde em conversa com motoristas que fazem frete em frente à sorveteria dona do galpão, descobriram que o material teria sido transportado para uma casa em Village do Sol. Com apoio da PM de Guarapari e de policiais civis da Deic de Guarapari, a carga foi encontrada.
Neste momento a Deic assumiu o caso e passou a conversar com o motorista de frete que teria transportado o material de Iguape para Village do Sol e ele confirmou que o empresário e outras duas pessoas o haviam contratado, sendo que o pagamento para o transporte da carga teria sido feito no interior do depósito da sorveteria em Muquiçaba. Diante destas informações o Delegado Guilherme Eugênio, titular da Deic de Guarapari, prendeu em flagrante o comerciante pelo crime de receptação de carga roubada. “Neste caso a pena é majorada pois a mercadoria que ele comprou é do mesmo ramo de negócios que ele atua e a Lei preso um aumento de pena, sendo que apenas um juiz pode arbitrar fiança”, explicou o delegado.
Eugênio contou ainda que o detido alega que é inocente e que não sabia que a carga era roubada, já que as pessoas que venderam o material para ele, avaliado em R$ 50 mil, disseram que entregariam a nota nota fiscal posteriormente, mas esta versão não convenceu delegado. 338 das 340 caixas roubadas foram recuperadas pela Polícia Civil. O comerciante deve passar a noite na carceragem da 5ª Delegacia REgional de Guarapari e na manhã desta quarta-feira, encaminhado para o Centro de Detenção Provisória de Guarapari onde aguardará que um juíz defina o valor da fiança.

Es em Foco