Cliente que reagiu a assalto em Guarapari e matou 2 é indiciado por “excesso na legítima defesa”

Cliente que reagiu a assalto e matou 2 é indiciado por “excesso na legítima defesa” | Tribuna Online O cliente que matou dois jovens de 21 e 19 anos, acusados de assaltar uma distribuidora de bebidas no bairro Muquiçaba, em Guarapari, foi indiciado por duplo homicídio privilegiado pelo excesso na legítima defesa. O autor dos disparos é um homem de 39 anos.

O delegado Guilherme Eugênio, da Delegacia Especializada de Investigações Criminais (Deic) de Guarapari, responsável pelo caso, explica que o autor dos disparos acabou cometendo um excesso ao atirar por mais de uma vez nos jovens, depois deles já estarem caídos no chão.

“O que leva ao indiciamento dele é o fato de que, após efetuar os primeiros disparos, que foram feitos em legítima defesa, ele se aproximou dos dois assaltantes e disparou novamente contra ambos, praticamente à queima-roupa. Após isso, o indiciado se apoderou da arma que estava com um dos alvejados e a colocou dentro do próprio carro”, disse o delegado.

No decorrer dessas investigações, o cliente acabou sendo preso em flagrante por outro homicídio, cometido em um bar na localidade de São Felix, em Guarapari, no dia 21 de março deste ano.

Na ocasião, testemunhas afirmaram que ele chegou por trás da vítima, um homem de 67 anos, sacou uma arma e efetuou os disparos, aparentemente sem motivos, pois não houve briga e os dois estavam bebendo juntos no bar. As investigações apontaram que a arma foi a mesma usada no crime da distribuidora.

O crime na distribuidora aconteceu no dia 12 de março. O autor dos disparos estava dentro da distribuidora, como cliente, quando os jovens entraram no local e anunciaram o assalto.

“Pelas imagens observamos que os assaltantes chegaram e ordenaram que todos fossem para o fundo da distribuidora. Quando uma cliente chegou para entrar no estabelecimento e viu a cena, um dos assaltantes se virou para ir na direção dela. O atirador sacou a arma e primeiro efetua um tiro na nuca dele. Depois acertou um tiro no outro. Em seguida acertou mais um disparo em cada um, tomou a arma e disparou com a arma dos ladrões, à queima-roupa. Isso concretizou o excesso”, esclarece Eugênio.

O acusado do duplo homicídio segue detido no sistema prisional.