Casagrande coloca ES à disposição para estudos de uso da CoronaVac em crianças de 3 a 11 anos

O Estado do Espírito Santo se colocou à disposição do Butantan para participar de estudos para aplicação da CoronaVac em crianças a partir dos 3 anos de idade.

A afirmação foi feita pelo governador, Renato Casagrande, nesta quarta-feira (22), durante o evento feito pelo Governo de São Paulo e pelo Instituto Butantan, que formalizou o repasse das vacinas da CoronaVac ao Estado. 

“O Espírito Santo se colocou à disposição do Butantan para a gente ser parceiro em um estudo para uso da CoronaVac em crianças de 3 a 11 anos”, disse o governador. 

O governador não deu detalhes sobre como seria essa parceria do Estado com o Butantan, mas explicou o que motiva a disposição para participar do estudos. 

“A CoronaVac ainda não está liberada pela Anvisa, mas já é utilizada para adolescentes e crianças em outros países. Então, nós nos colocamos à disposição para que a gente possa avançar neste caminho”, reforçou o governador Renato Casagrande.

A reportagem do Folha Vitória procurou a assessoria do governador em busca de mais detalhes sobre qual seria a participação do Espírito Santo no estudo. A orientação foi para que procurássemos diretamente a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). 

Para a secretaria, a reportagem perguntou se o Estado irá participar disponibilizando pesquisadores para auxiliar no estudo ou se vai vacinar as crianças de 3 a 11 anos no Espírito Santo.  

Por meio de nota, a Sesa se limitou a dizer que o governo propôs um estudo para subsidiar elementos de segurança para uso da vacina em idades pediátricas. No entanto, não deu mais detalhes sobre como ocorrerá esse estudo.

Espírito Santo espera iniciar vacinação de crianças até o fim de 2021

Em uma entrevista coletiva na última segunda-feira, o secretário de Estado de Saúde, Nésio Fernandes, falou sobre a vacinação deste público. 

Ele afirmou que acredita que os laboratórios Sinovac e Pfizer podem entregar toda a documentação necessária para avaliação da inclusão do novo público na campanha de imunização contra a covid-19 até dezembro.

“Nós temos a expectativa de que até o final do ano, a Anvisa libere tanto a vacina produzida pela Sinovac, a Coronavac, quanto a da Pfizer para idades pediátricas. Acreditamos que até dezembro seja possível que tanto a Pfizer quanto a Sinovac apresentem toda a documentação necessária para a autorização do uso dessas vacinas em crianças”, disse.

O secretário destacou que, caso a Anvisa libere o uso dos imunizantes para o novo público, a vacinação das crianças poderá ser iniciada logo após a liberação da agência. “Ela poderá ser incluída nos momentos próximos na vacinação no Brasil”, afirmou.  

Fonte: Folha Vitória