Policial federal bêbado atira contra pessoas em posto de gasolina, mata um e fere três

A desculpa de surto psicótico virou moda entre bandidos que praticam crimes e mulheres que traem seus maridos. Tanto é que a defesa do policial federal Ronaldo Massuia Silva, 43 anos, que matou uma pessoa e feriu três em um posto de combustíveis de Curitiba/PR no domingo, 01, alega que ele estava em surto.

O referido policial, que segundo testemunhas estava mais bêbado que peru em véspera de Natal chegou ao posto nervoso e pediu um isqueiro para acender cigarro. Os clientes tentaram contê-lo para não provocar uma tragédia, ocasião em que policial agiu com truculência própria da classe, intimidando as pessoas.

Minutos depois ele se desentendeu com outro grupo de pessoas, dentre as quais havia um segurança, por causa de uma vaga no estacionamento. Mais uma vez, demonstrando abuso de poder, o policial sacou da arma 09mm e friamente atirou em direção à loja de conveniência, acertando quatro pessoas, uma das quais morreu.

A vítima que morreu foi encaminhada ao IML (Instituto Médico Legal) e os demais feridos ao hospital, onde foram medicados e depois ouvidos na Delegacia de Polícia. O advogado do policial assassino tenta livrar sua cara dizendo que ele teve um surto psicótico e que vem enfrentando quadro profundo de depressão.

No início deste ano o policial federal Lucas Soares Dantas Valença, 36 anos, que ficou famoso na internet ao fazer a escolta do ex-presidente da Câmara preso em 2016, foi morto a tiros ao invadir uma casa na Zona Rural de Buritinópolis/GO. No caso dele também houve a desculpa de surto psicológico.