Homem é morto pelo filho por fungar no cangote da nora e ainda tem corpo queimado

Homem é morto pelo filho por fungar no cangote da nora e ainda tem corpo queimado

Registrado em Cachoeiro de Itapemirim, na Região Sul do Espírito Santo, o bárbaro assassinato do bicicletista Duramir Monteiro Silva, 56 anos, ocorrido em 28 de junho último, ainda é motivo de comentários. Seu corpo só foi localizado no dia 04 de julho, em uma cova rasa no interior de Castelo, na Região Serrana.

Segundo consta da Ocorrência Policial, Duramir foi morto pelo próprio filho, João Vitor Brito Silva, 24 anos, depois de supostamente ter dado uma fungada no cangote de sua futura nora, que também está presa e que não teve o nome divulgado, e tentado agarra-la quando estava cortando carne para o almoço.

Ainda segundo a ocorrência a mulher, que dizia estar grávida, se virou e acertou uma facada no futuro sogro, que gritou ao receber o golpe. Em seguida João Vitor surgiu e também esfaqueou o pai várias vezes nas costas e no peito. A vítima morreu no local do crime e seu corpo foi retirado do local pelos dois.

O corpo de Duramir foi colocado em seu próprio carro e levado para uma propriedade rural no interior de Castelo, onde foi colocado em um buraco e queimado. Em seguida o filho registrou o seu desaparecimento. Os restos mortais da vítima só foram encontrados na segunda-feira e removidos ao IML.

Para apagar os vestígios do crime, João Vitor e a namorada limpou a casa com alvejante e outros produtos de limpeza, mas mesmo assim a polícia encontrou vestígios de sangue e o filho foi preso. A namorada foi presa na tarde de terça-feira, 05, em um hotel no Bairro BNH, em Cachoeiro, mas não resistiu à prisão.

Apesar de os assassinos terem informado o motivo do crime, a polícia suspeita que a história seja outra e que o assassinato tenha ocorrido por motivos patrimoniais. Na casa da vítima foram encontrados R$ 20 mil em dinheiro. A polícia apurou ainda que a mulher não estava grávida conforme tinha afirmado.

Es em Foco