Jovem é assassinada dentro de casa e filha bebê deita sobre o corpo da mãe

Jovem é assassinada dentro de casa e filha bebê deita sobre o corpo da mãe

Criança de pouco mais de um ano achava que ela estava dormindo; companheiro da vítima é o principal suspeito.

Uma mulher de 27 anos foi encontrada morta dentro de casa neste domingo (16) na Zona Leste de São Paulo, por familiares. O companheiro de Ana Carolina da Silva Santos Fernandes, Fernando Fernandes dos Santos, é o principal suspeito do crime e está foragido. A bebê do casal, de apenas um ano, estava deitada sobre o corpo da mãe.

As informações foram divulgadas pelo ‘Bom dia Brasil’, da TV Globo. Segundo a Polícia Civil, após não conseguir entrar em contato com a filha, a mãe de Ana Carolina foi até a sua casa para descobrir o que aconteceu. Ela, junto com outros familiares, arrombaram a porta da residência da vítima e a encontraram no chão, já sem vida, junto com a filha do casal junto ao corpo. A criança acreditava que a mãe estava dormindo, segundo relatos.

De acordo com os familiares, as agressões físicas de Fernando contra a vítima eram frequentes e ela já tinha uma medida protetiva contra Fernando, mas decidiu voltar com o companheiro acreditando na promessa de que ele iria mudar.

Em entrevista ao telejornal, a mãe da jovem, Adriana da Silva, lamentou a morte da filha: “Minha neta estava dormindo em cima do corpo dela. Acabou com a nossa vida! Acabou com a vida dos meus netos e a dor é imensa. Eu nunca imaginei que iria escolher um caixão pra ela e escolhi hoje. Foi terrível (…) não sei o que fazer”.

Adriana da Silva também pede por justiça: “Eu só quero que achem ele, tem que achar ele. Ele tem que pagar pelo o que ele fez. Eu só quero justiça já que eu não vou ter mais a minha filha de volta”.

Após o crime, Fernando Fernandes dos Santos também levou os cartões de banco da vítima e da mãe dela, e, segundo a polícia, já usou um deles.

A polícia faz buscas para tentar encontrar o suspeito do crime. O caso está sendo investigado pela 103º DP (Itaquera/Cohab 2).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *