Jovem de Guarapari que passou fome é premiado em Alfredo Chaves

Aos 30 anos de idade, o técnico em agropecuária Josimar Piumbini lembra que teve de superar até mesmo a falta de ter o que comer para vencer na vida.

Filho dos garis Francisco de Assis Poumbini, 66, e Maria Schunk Piumbini, 60, já aposentados, ele se dedicou aos estudos e montou uma empresa de consultoria agrícola e florestal que já foi premiada como a melhor do ramo em Alfredo Chaves, região Serrana do Estado, onde mora a família. 

O empresário, de 30 anos, relatou que teve vários motivos para desistir, mas não parou de estudar até realizar o sonho de ter o seu próprio negócio.

“Abri minha empresa em 2011 com a cara e a coragem e R$ 300 no bolso. Com muita fé e dedicação, nosso público nos escolheu como a melhor do município”, afirmou o empresário.

Quando criança, Josimar morou com sua família em Rio Claro, uma pequena comunidade localizada do interior de Guarapari, onde chegou a passar fome.

“Meus pais trabalhavam na roça e não tenho vergonha de falar que muitas vezes nosso armário estava vazio. Já passei fome, mas venci”, contou.

Piumbini revelou ainda que tinha de andar 12 quilômetros a pé por dia, sozinho, até chegar na escola. “Não tínhamos dinheiro para comprar moto, muito menos carro. Então para poder assistir às aulas do colégio, eu fazia uma trilha no meio da mata porque sempre acreditei que só os estudos poderiam melhorar a nossa vida”.

Preconceito

Além das dificuldades, Josimar também contou que teve de enfrentar o preconceito por ser filho de garis: “Ouvi muita piada por ser filho de pobre na escola, mas não abaixei minha cabeça”.

Os pais declaram que se sentem orgulhosos do filho e que foram morar em Alfredo Chaves há 15 anos para buscar uma vida melhor. “Ele é um vencedor que só nos dá alegria. Pensar que quando chegamos aqui, trabalhamos limpando pasto para pagar aluguel e comprar arroz e feijão. Foi só depois que conseguimos o emprego de varrer rua”, relatou o pai.

Josimar também é técnico em Agrimensura (realiza levantamento topográfico) com especialização em Georreferenciamento e possui certificações em Gestão Ambiental, Impacto Ambiental e Direito Ambiental. 

Durante os estudos, Josimar andava 12 quilômetros por dia para chegar na escola, e confessa que o segredo do sucesso é não desistir. 

Fonte: Tribuna Online